Rede de sementes e mudas



A Rede de Sementes e Mudas foi criada para fortalecer a cadeia produtiva de restauração ambiental na bacia do rio Doce em Minas Gerais e no Espírito Santo. A iniciativa vai desenvolver sementes e mudas em quantidade suficiente para atender a, aproximadamente, 50% da demanda da Fundação Renova no processo de restauração florestal. Serão 5 mil nascentes e 40 mil hectares de Áreas de Preservação Ambiental recuperadas.



Considerada a primeira rede de sementes da bacia do rio Doce, a iniciativa tem a parceria do Centro de Pesquisas Ambientais do Nordeste (Cepan), com a colaboração da Associação Rede de Sementes do Xingu (ARSX) e da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar). O projeto pretende identificar, capacitar e incentivar elos estratégicos da cadeia produtiva, como coletores de sementes e produtores de mudas, abrindo um mercado inclusivo e participativo de desenvolvimento de espécies nativas.


“A gente mobiliza produtores rurais, grupos, minorias, atingidos, pescadores, assentados, quilombolas, indígenas e agricultores que se interessam também. Uma vez mobilizada, a gente capacita essa turma toda para produção de sementes e mudas”, explica o analista socioambiental da Fundação Renova, Felipe Tieppo.

Com a proposta de auxiliar na estruturação dos produtores de sementes e mudas, que são elos fundamentais dessa atividade, a Rede pode se tornar referência. “A iniciativa pode se transformar em um case de sucesso de geração de emprego, renda e inclusão de pessoas, atuando diretamente em um dos principais pontos para o ganho de escala de projetos de restauração, que é a participação social e longevidade desses projetos”, explica o diretor do Cepan, Severino Ribeiro, sobre a ação que integra os Programas de Recuperação de Nascentes e Áreas de Preservação Permanente.


A Rede também deverá consolidar mais uma opção de metodologia na bacia do rio Doce para lidar com áreas degradadas, que é a semeadura direta. A técnica vem sendo utilizada na bacia do Xingu e possibilita verificar a sobrevivência, densidade e diversidade de espécies em diferentes arranjos de preparo e tipo de solo.


O objetivo é que a produção da Rede de Sementes e Mudas seja capaz de atender também outras localidades do Brasil que abrangem o bioma Mata Atlântica.

No futuro, a Rede deverá funcionar como uma cooperativa ou associação autônoma, estimulando outros elos da cadeia produtiva da restauração ambiental.


Ouça mais detalhes sobre a Rede de Sementes e Mudas com Felipe Tieppo:




Conheça as etapas para a consolidação da rede:






© Copyright 2019 Fundação Renova. Todos os direitos reservados | Política de Privacidade