Programa capacita profissionais de saúde do SUS de 39 municípios

Atualizado: Ago 5

A Fundação Renova iniciou a capacitação de profissionais de saúde do SUS (Sistema Único de Saúde) que atuam em cidades impactadas pelo rompimento da barragem de Fundão, em Mariana (MG). O acordo de cooperação técnica foi assinado com 38 municípios, além de Barra Longa, que está cumprindo uma das atividades previstas na Ação Civil Pública homologada em setembro de 2020.


Com duração de até dois anos, o Programa de Capacitação tem como objetivo ampliar o conhecimento técnico-científico dos profissionais e aprimorar os processos e fluxos de trabalho em situações de crise e emergência. A expectativa é que até 1.760 profissionais sejam qualificados em temas voltados ao monitoramento da situação de saúde da população atingida e, consequentemente, sejam multiplicadores do aprendizado nessas cidades.



Os acordos foram firmados entre o Programa de Saúde da Fundação Renova e prefeituras, secretarias municipais de saúde e Superintendências Regionais de Saúde. Além de aprimorar o conhecimento dessas equipes, a capacitação visa estender os processos e fluxos de trabalho em situações de crise e emergência, para a organização e análise dos dados nos serviços de saúde.


“Os profissionais serão capacitados nas áreas de vigilância em saúde, atenção primária, atenção secundária e saúde mental e serão multiplicadores dessa aprendizagem nos seus municípios de atuação”,

Wagner Tonon, gerente de Saúde e Proteção Social da Fundação Renova


Iniciativa é regionalizada


O público-alvo definido para essa iniciativa são os profissionais de saúde que atuam nos serviços ofertados pelo SUS, nas áreas de Vigilância em Saúde, Atenção Primária, Atenção Secundária e Saúde Mental.


A partir da assinatura do acordo, cada gestor municipal se tornou responsável por selecionar os profissionais participantes, que devem estar cadastrados no Sistema de Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde (SCNES).


O programa deverá capacitar até 1.760 profissionais como multiplicadores. Esse número, no entanto, pode variar conforme a indicação feita por parte dos gestores municipais e regionais de saúde.


Outro importante detalhe do programa de capacitações é que ocorrerá de forma regionalizada, tendo como referência a divisão do território em quatro polos.


Polo Ponte Nova: Barra Longa, Rio Doce, Santa Cruz do Escalvado, Rio Casca, Sem Peixe, São Pedro dos Ferros, São José do Goiabal, São Domingos do Prata, Raul Soares.


Polo Ipatinga: Dionísio, Córrego Novo, Marliéria, Pingo d' Água, Bom Jesus do Galho, Caratinga, Timóteo, Ipatinga, Iapu, Ipaba, Bugre, Santana do Paraíso, Belo Oriente, Naque, Periquito.


Polo Governador Valadares: Alpercata, Tumiritinga, Conselheiro Pena, Fernandes Tourinho, Galiléia, Governador Valadares, Resplendor, Itueta, Sobrália, Aimorés


Polo Colatina: Baixo Guandu, Colatina, Marilândia, Aracruz, Linhares.


Modelo EAD e 240 horas/aula de capacitação


Inicialmente, a estratégia proposta para a execução das capacitações estava pautada na modalidade presencial. Porém, devido à necessidade do distanciamento social causada pela pandemia de Covid-19, adotou-se o modelo de Educação a Distância (EAD).


Estão previstas aproximadamente 240 horas/aula pelos próximos 24 meses. O cronograma dos temas abordados nas capacitações foi definido junto aos gestores municipais e regionais de saúde.


A primeira atividade teve início no dia 29 de junho, com a capacitação sobre a “Gestão da Informação em Saúde (englobando Gestão dos Sistemas de Saúde)”.


Todos os quatro pólos estão desenvolvendo esse tema em modelo EAD, com término previsto ainda para este mês. O Programa de Capacitação abordará outros assuntos relevantes às comunidades atingidas:


● Comunicação de Risco à Saúde;

● Vigilância em Saúde (Vigilância Ambiental, Epidemiológica e Sanitária, englobando tópicos voltados a Bioestatística e Monitoramento da Qualidade da Água para o Consumo Humano);

● Emergência em Desastres;

● Princípios e Conceitos de Avaliação de Risco à Saúde Humana (ARSH);

● Princípios e Conceitos de Toxicologia de Metais;

● Sinais e Sintomas Relacionados à Exposição de Metais;

● Levantamento do Histórico Completo de Exposição;

● Exames Físicos para Identificação de Sintomas Relacionados à Exposição de Metais;

● Direcionamento e Interpretação de Testes de Laboratório para Avaliação de Intoxicação por Metais;

● Direcionamento de Diagnóstico e Acompanhamento de Intoxicação por Metais.