Jovens aprendem a criar projetos para construir o futuro da bacia do rio Doce

Atualizado: Abr 13




Cerca de mil jovens de 15 a 29 anos de 41 municípios participam do Lideranças Jovens, um projeto de formação que promove o protagonismo e empreendedorismo juvenil na revitalização da bacia do rio Doce. Ao longo deste ano, os jovens participam de aulas em educação à distância para aprenderem a elaborar projetos e captar recursos, entre outros temas. Na sequência, vão desenvolver iniciativas próprias nas áreas ambiental, econômica, cultural ou social para o futuro da bacia do rio Doce. Todos os projetos propostos receberão aporte financeiro da Fundação Renova.


A ação é realizada em parceria com cinco instituições, cada uma com um plano de ação baseado em um levantamento dos anseios e vontades dos jovens presentes em sua área de atuação. Além de uma formação geral, focada na revitalização na bacia, jovens de diferentes regiões terão acesso a conteúdos socioambientais articulados com fundamentos de robótica, expressões artísticas e culturais, fortalecimento de identidade, vinculações territoriais e protagonismo.


  • Alto Rio Doce: Centro Popular de Cultura e Desenvolvimento (CPCD);

  • Calha do Rio Doce: Fundação Geraldo Perlingeiro Abreu;

  • Médio Rio Doce: Centro Integrado de Estudos e Programas de Desenvolvimento Sustentável (Cieds);

  • Baixo Rio Doce: Associação Mineira das Escolas Famílias Agrícolas (Amefa);

  • Foz do Rio Doce: Lumiar Ambiental.


Cada uma das instituições realizou um diagnóstico com os jovens dos seus territórios e elaborou uma proposta de atuação com base nos conteúdos sugeridos pelo edital, respeitando os objetivos de envolvimento e engajamento com a revitalização local e regional dos territórios. As propostas levaram em conta alguns aspectos como:


  • a mobilização e engajamento dos jovens na revitalização do rio Doce;

  • a percepção dos jovens sobre a realidade do território em que vivem;

  • a contribuição para o fortalecimento de uma rede de atores e ações que trabalham com o protagonismo juvenil;

  • e o fomento de práticas de educação em rede para a revitalização da região.


Formação dos jovens


A primeira parte do programa envolve 30 horas de aulas comuns para todos os jovens dos cinco territórios. Depois entra a fase de formação específica por território, contabilizando mais 56 horas ministradas pelas instituições selecionadas. Ao todo, os jovens passarão for 86 horas de formação.


“Estamos iniciando agora o processo formativo que se dará em três módulos: um que discute o rio Doce, que tem como tema 'navegando o rio Doce'; outro sobre liderança, e o último que vai discutir juventudes e protagonismo juvenil. Associados a esses módulos, os jovens participarão de pesquisas temáticas em seus municípios e de oficinas de elaboração de projetos".

Ana Marta de Souza Inez, coordenadora do projeto Raízes e Asas do Rio Doce, desenvolvido pela Fundação Geraldo Perlingeiro Abreu em parceria com a Fundação Renova



Elaboração dos projetos


Após o período de aulas, os jovens vão iniciar a fase de elaboração dos próprios projetos dentro das temáticas ambiental, econômica, cultural e social, sempre tendo como pano de fundo a revitalização da bacia do rio Doce. Nesta etapa, com previsão para iniciar entre julho e agosto de 2021, eles receberão mentoria e terão a liberdade de sugerir e implantar os projetos que acreditam. As iniciativas elaboradas pelos jovens terão aporte e subsídio financeiro garantidos pela Fundação Renova.


Para Cleiton de Souza Pereira, de Periquito (MG), o Programa Lideranças Jovens será importante para criação de um projeto que vá colaborar para apoiar a recuperação do seu o município, atingido pelo rompimento da barragem de Fundão.


“Creio que o Lideranças Jovens tem muito a oferecer para nós, para termos uma cidade melhor, ter voz ativa na comunidade e poder fazer alguma coisa acerca de tudo o que aconteceu após o rompimento, nos ajudando a elaborar uma ideia que possa minimizar um pouco a situação. Com essas mentes trabalhando juntas, temos a oportunidade de apresentar alguma coisa que faça a diferença.”

Cleiton de Souza Pereira, 27 anos, participante do programa



Yuna Ana Reis morou em Belo Horizonte por nove anos e há dois voltou para sua cidade natal, Governador Valadares, motivada a atuar mais pelo município. Ela viu no projeto uma oportunidade de colocar seus planos em prática.


“O meu objetivo é deixar algum legado para minha cidade a partir das experiências formativas que tive lá fora. É uma contrapartida social que acho que devo fazer. E, para mim, isso é o mais legal do projeto, essa ideia da rede, de se conectar com pessoas que tenham a mesma ambição de trabalhar o social junto comigo. É muito difícil você desenvolver determinadas ações sozinha. Encontrar parcerias nesse sentido é o que constrói a possibilidade de os projetos saírem do papel, ganharem o mundo e permanecerem.”

Yuna Ana Reis, 29 anos, participante do programa



Veja o número de jovens e municípios que serão atendidos por região:



Pandemia


Em adequação ao cenário de enfrentamento à pandemia do coronavírus, as aulas ocorrem de forma remota. Os alunos inscritos nas formações realizadas em 41 municípios, participam de atividades por streaming (transmissão em tempo real) e aulas pré-gravadas. Os conteúdos são reforçados por meio de quizzes (jogos de perguntas), discussões em fóruns e leitura de e-books, entre outros.