Indenizar quem estava na informalidade ainda é desafio em Mariana

Quatro anos depois do desastre do rompimento da barragem de Fundão, a grande dificuldade é ressarcir atividades impactadas que eram irregulares



Quatro anos após um dos mais graves desastres socioambientais do Brasil, o rompimento da barragem de Fundão da mineradora Samarco, controlada por BHP e Vale, em Mariana (MG) o volume de indenizações chega a R$ 1,84 bilhão. O processo, contudo, ainda não conseguiu indenizar os danos de atividades impactadas, mas que estão no limite da informalidade. Leia a matéria da íntegra.


© Copyright 2019 Fundação Renova. Todos os direitos reservados | Política de Privacidade