Direito à moradia adequada



Mais do que reconstruir casas, o programa de reassentamento tem como missão restabelecer os modos de vida e a organização das comunidades que perderam suas casas pela passagem do rejeito após o rompimento da barragem de Fundão - os distritos de Bento Rodrigues e Paracatu de Baixo, em Mariana; Gesteira, em Barra Longa; e as comunidades rurais dos respectivos municípios. Seu principal objetivo é garantir que as moradias e as áreas públicas atendam às necessidades levantadas pelos futuros moradores, preservando seus hábitos, relações de vizinhança e tradições culturais e religiosas.


São estimadas 255 famílias em Bento Rodrigues, 140 em Paracatu de Baixo, 37 em Gesteira e 64 atendimentos de reparação de direito à moradia de famílias nas áreas rurais de Mariana e Barra Longa. Até que as vilas e as propriedades sejam reconstruídas, todos têm os gastos com moradia custeados pela Fundação Renova, que atualmente aluga casas para cerca de 300 famílias na região de Mariana.


Status do reassentamento



No processo de reassentamento, os atingidos participam ativamente desde a escolha do terreno e a aprovação do projeto urbanístico da comunidade até o desenho individual de cada uma das casas. Cerca de 500 casas são desenhadas, uma a uma, de acordo com o desejo das famílias. “Não é só casa, é uma história de vida que estamos retomando”, afirma Alfredo Zanon, arquiteto e especialista em obras da Fundação Renova. Assista ao vídeo.




© Copyright 2019 Fundação Renova. Todos os direitos reservados | Política de Privacidade